CCIABM
CCIABM
Início » Notícias » Vale quer apostar no setor de energia em Moçambique

Notícias

Vale quer apostar no setor de energia em Moçambique

28 de março de 2011

A mineradora brasileira Vale, que desenvolve um projeto de carvão, em Tete, vai deixar de produzir energia apenas para o autoconsumo e fazer do setor uma oportunidade de negócios.

De acordo com o Diretor Executivo de Marketing, Vendas e Estratégia da empresa, José Carlos Martins, este setor já é responsável por quase 4% da receita bruta da companhia em todo o mundo.

“Somos uma empresa de recursos naturais. Energia encaixa-se perfeitamente nessa vocação”, disse José Carlos Martins, em entrevista à agência brasileira Estado.

Em Moçambique, a Vale tem o projeto de construção de uma central térmica, em Tete, onde prevê produzir energia para o consumo da empresa assim como para o abastecimento das populações locais.

A decisão de tornar, no futuro, energia um negócio lucrativo tem como pano de fundo a visão de que o crescimento da economia mundial, puxado pela China, vai exigir uma geração cada vez maior de energia. Segundo Martins, ainda existem muitos recursos naturais que podem ser explorados para gerar energia e atender à crescente demanda.

De acordo com o representante, quando se fala em procurar petróleo a 7 mil metros de profundidade tem de se pensar em vários milhões de dólares em investimentos. Diante desse cenário de custos elevados na produção, a Vale acredita que a demanda por projetos geradores de energia renovável cresce e torna-se mais rentável.

Segundo Martins, o sucesso dessa estratégia está no investimento em componentes de altíssima tecnologia. “Estamos investindo forte nesse processo”, diz o Diretor, ao explicar que são projetos de clonagens ou de tecnologia de processos para aumentar o rendimento da energia produzida. Atualmente, os gastos com energia representam quase 20% dos custos da companhia.

Sua principal concorrente, a mineradora anglo-australiana BHP Billiton, já está no setor energético há anos. Mas Martins destaca diferenças entre a visão das duas companhias. “A BHP está em energia fóssil (petróleo). O nosso grande foco como business é a energia renovável”, explica.

O primeiro passo nessa direção foi dado em fevereiro passado com a compra da Biopalma da Amazônia por 173 milhões de dólares. Trata-se de uma empresa produtora de óleo de palma, matéria-prima para a produção de biodiesel.

Desde 2007, a mineradora já desembolsou mais de 2 bilhões de dólares em projetos de energia. Para este ano estão orçados 794 milhões de dólares. De recordar que a Vale é uma das mais importantes mineradoras que operam em Moçambique e prevê iniciar a exportação de carvão mineral ainda este ano.

Fonte: Adaptação Club of Mozambique