CCIABM
CCIABM
Início » Notícias » Moçambique com maior crescimento mundial na última década

Notícias

Moçambique com maior crescimento mundial na última década

20 de janeiro de 2011

Moçambique foi um dos países do mundo que mais cresceu economicamente na última década, revela um estudo da conceituada revista britânica The Economist.

O estudo diz ainda que outro país de língua oficial portuguesa, Angola, encontra-se no topo da lista das 10 economias mundiais que mais cresceram nesse mesmo período.

Com efeito, se muito se fala do acordar dos gigantes que são a China, Brasil, Índia e Rússia, o estudo apresentado pela The Economist surpreende pelo fato de Moçambique surgir no 8º lugar com um crescimento de 7,9%, o mesmo que o registado pelo Chad, que está em 7º.

O notável nessa lista é que, ao contrário do que se possa pensar, não são os países asiáticos que dominam a lista, mas sim africanos. Da lista das 10 economias de maior crescimento 6 são de países africanos, algo que é mais notável se, se levar em conta que na década anterior apenas um país africano (Uganda) fazia parte da lista.

Na ultima década o crescimento real do PIB de África foi de 5,7% superior ao da América Latina com 3,3%.
A revista ainda diz que entre 2011 e 2015 sete países africanos deverão estar na lista de 10 países com maior crescimento econômico. Moçambique aparece nessa projeção em 4º lugar com uma previsão de crescimento de 7,7%.

Em termos globais há que perspectivar que a economia da África é minúscula representando apenas 2% da produção mundial.

O estudo da The Economist faz, no entanto notar que devido a esse atraso o crescimento da África não é de surpreender, tendo o que diz ser “mais potencial de crescimento”. O estudo faz salientar a melhor administração das economias em muitos países africanos que beneficiaram também de grandes investimentos da China e do aumento dos preços das matérias primas.

A revista aponta que diferentemente de governos passados, os atuais gestores de Moçambique e Tanzânia pouparam dinheiro, o que amorteceu o efeito da última crise em suas economias.

O Fundo Monetário Internacional afirmou que as perspectivas da África para este ano são boas.

Num estudo o FMI diz ainda que Moçambique, Cabo Verde e São Tomé estão entre os países africanos que no período entre 1996 e 2008 registaram um aumento de rendimento per capita acima de 2%.

O FMI sublinha que as necessidades da África continuam enormes. A África Subsaariana precisa de 93 mil milhões de dólares anuais em financiamento e pelo menos um terço dessa quantia não encontra financiamento.

Fonte: Adaptação Club of Mozambique