CCIABM
CCIABM
Início » Notícias » Governo do Malaui e a Vale Moçambique vão construir linha férrea para o escoamento do carvão

Notícias

Governo do Malaui e a Vale Moçambique vão construir linha férrea para o escoamento do carvão

29 de abril de 2011

O Governo do Malaui e a Companhia mineira Vale Moçambique assinaram no dia 19/04/2011 em Lilongwe um Memorando de Entendimento para construção de uma linha férrea para o escoamento do carvão de Moatize, em Tete até o Porto de Nacala.

O ato foi testemunhado pelo Ministro dos Transportes e Comunicações Paulo Zucula.

A ferrovia, avaliada em dois bilhões de dólares, deverá passar pelo território malauiano, e o projeto visa fundamentalmente servir de alternativa para o escoamento do carvão mineral de Moatize, considerada uma das maiores reservas do mundo.

Para o Diretor-geral da Vale Moçambique, Galib Chaim a assinatura do Memorando de Entendimento com o Malaui constitui o ponto de partida para um conjunto de ações subsequentes para a construção da linha férrea de Moatize até o Porto de Nacala, visando dar resposta a logística de escoamento do carvão.

Cerca de 900 quilômetros separam a vila mineira de Moatize, em Tete até ao Porto de Nacala, província de Nampula.

A Vale Moçambique deverá iniciar no segundo semestre deste ano a exportação do carvão mineral através do porto da Beira, cujo terminal está neste momento em construção.
A ideia é iniciar com a exportação de um milhão e quinhentas mil toneladas de carvão, com perspectiva de crescimento até 2013.

O carvão de Moatize deverá ser exportado para Brasil, Europa, China, Índia e Japão, considerados como potenciais mercados.

O setor do carvão poderá passar nos próximos anos a responder por até 10% do PIB.

Fonte: Adaptação Club of Mozambique