CCIABM
CCIABM
Início » Notícias » Banca deve apostar na inovação tecnológica

Notícias

Banca deve apostar na inovação tecnológica

13 de maio de 2016

O desafio da Banca na actualidade é acompanhar a inovação tecnológica de forma a disponibilizar os seus serviços com simplicidade, rapidez e segurança a partir de qualquer dispositivo electrónico, defendeu o administrador-delegado do Standard Bank, Chuma Nwokocha, na abertura da 3.ª edição da MozTech, Expo Digital de Moçambique.

Na sua intervenção, na qualidade de parceiro financeiro da MozTech, o administrador-delegado daquela instituição financeira disse que, de um modo geral, “os bancos têm a responsabilidade de apresentar soluções práticas que podem fazer de Moçambique um país em que qualquer cidadão tenha acesso aos serviços financeiros de forma simplificada, através de um telemóvel ou outro dispositivo electrónico, independentemente de onde estiver”.

“Temos de caminhar ao mesmo passo que os nossos clientes no uso das tecnologias, à semelhança dos países do primeiro mundo. Para tal trazemos aos moçambicanos, em particular aos clientes do Standard Bank, a oportunidade de realizarem operações bancárias no relógio de pulso, através da integração do nosso Mobile Banking com o SmartWatch, o que permite a verificação do utilizador e códigos, através da impressão digital”, realçou.

Nwokocha, que falava esta quinta-feira em Maputo, disse ainda ser mais do que comodidade, sigilo e segurança reforçada, o novo Mobile Banking tem a vantagem única de ser personalizável, sem contar que as transferências interbancárias dentro da rede SIMO sejam instantâneas.

Por sua vez, o Ministro da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico Profissional, Jorge Nhambiu, defendeu que nesta era da informação, é a capacidade de utilizar eficaz e eficientemente as tecnologias de informação e comunicação que cada vez mais determina a competitividade, o crescimento e a relevência de um país na economia global.

“O mundo de hoje está profundamente marcado pela revolução das tecnologias de informação e comunicação, dando origem à sociedade global de informação que tem, na Internet, o seu expoente mais alto e na qual a informação e o conhecimento circulam com uma rapidez sem precedentes, afectando todos os aspectos da vida e da actividade económica, política e sóciocultural em todos os países”, frisou.

O presidente da Comissão Executiva da MozTech, Daniel David, disse que para esta edição foi-se mais longe, apesar de reconhecer que se está num ano atípico a nível económico, o que exige de cada cidadão uma capacidade  de resiliência, de inovação e de salto de qualidade para responder aos desafios económicos que o país está a atravessar.

“Criamos um novo espaço nas nossas salas de conferências e uma tenda dedicada especialmente para as “Techlab” para garantir que as nossas “startups” e aqueles que têm ideias inovadoras possam apresentar os seus produtos”, concluiu.

Fonte: www.jornalnoticias.co.mz

O desafio da Banca na actualidade é acompanhar a inovação tecnológica de forma a disponibilizar os seus serviços com simplicidade, rapidez e segurança a partir de qualquer dispositivo electrónico, defendeu o administrador-delegado do Standard Bank, Chuma Nwokocha, na abertura da 3.ª edição da MozTech, Expo Digital de Moçambique.

Na sua intervenção, na qualidade de parceiro financeiro da MozTech, o administrador-delegado daquela instituição financeira disse que, de um modo geral, “os bancos têm a responsabilidade de apresentar soluções práticas que podem fazer de Moçambique um país em que qualquer cidadão tenha acesso aos serviços financeiros de forma simplificada, através de um telemóvel ou outro dispositivo electrónico, independentemente de onde estiver”.

“Temos de caminhar ao mesmo passo que os nossos clientes no uso das tecnologias, à semelhança dos países do primeiro mundo. Para tal trazemos aos moçambicanos, em particular aos clientes do Standard Bank, a oportunidade de realizarem operações bancárias no relógio de pulso, através da integração do nosso Mobile Banking com o SmartWatch, o que permite a verificação do utilizador e códigos, através da impressão digital”, realçou.

Nwokocha, que falava esta quinta-feira em Maputo, disse ainda ser mais do que comodidade, sigilo e segurança reforçada, o novo Mobile Banking tem a vantagem única de ser personalizável, sem contar que as transferências interbancárias dentro da rede SIMO sejam instantâneas.

Por sua vez, o Ministro da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico Profissional, Jorge Nhambiu, defendeu que nesta era da informação, é a capacidade de utilizar eficaz e eficientemente as tecnologias de informação e comunicação que cada vez mais determina a competitividade, o crescimento e a relevência de um país na economia global.

“O mundo de hoje está profundamente marcado pela revolução das tecnologias de informação e comunicação, dando origem à sociedade global de informação que tem, na Internet, o seu expoente mais alto e na qual a informação e o conhecimento circulam com uma rapidez sem precedentes, afectando todos os aspectos da vida e da actividade económica, política e sóciocultural em todos os países”, frisou.

O presidente da Comissão Executiva da MozTech, Daniel David, disse que para esta edição foi-se mais longe, apesar de reconhecer que se está num ano atípico a nível económico, o que exige de cada cidadão uma capacidade  de resiliência, de inovação e de salto de qualidade para responder aos desafios económicos que o país está a atravessar.

“Criamos um novo espaço nas nossas salas de conferências e uma tenda dedicada especialmente para as “Techlab” para garantir que as nossas “startups” e aqueles que têm ideias inovadoras possam apresentar os seus produtos”, concluiu.