CCIABM
CCIABM
Início » Notícias » Anunciados hoje resultados das eleições presidenciais em Moçambique

Notícias

Anunciados hoje resultados das eleições presidenciais em Moçambique

30 de outubro de 2014

cne

A Comissão Nacional de Eleições (CNE) de Moçambique anuncia hoje em Maputo os resultados preliminares das eleições gerais de 15 de outubro. Segundo fonte da CNE, os resultados do apuramento nacional da votação serão divulgados pelo presidente do órgão eleitoral, Abdul Carimo, em cerimônia pública agendada para o Centro de Conferências Joaquim Chissano (CCJC), na capital moçambicana.

Com base nas contagens provinciais, a Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo), partido no poder, vence com maioria absoluta no parlamento, mas longe dos dois terços alcançados em 2009, e o seu candidato presidencial, Filipe Nyusi, vence a corrida a Ponta Vermelha, a residência oficial do chefe de Estado moçambicano.

Apesar de os resultados apontarem uma derrota, a Resistência Nacional Moçambicana (Renamo), principal partido de oposição, e o Movimento Democrático de Moçambique (MDM), terceira maior força, deverão aumentar substancialmente as suas representações parlamentares, segundo as projeções já conhecidas.

A requalificação de mais de 178 mil dos cerca de 700 mil votos nulos contabilizados pode interferir com a eleição de “um ou outro assento”, segundo disse na terça-feira o porta-voz da CNE, Paulo Cuinica, sem avançar mais detalhes sobre a distribuição final de mandatos.

O processo de apuramento distrital e provincial foi acompanhado por suspeitas de irregularidades, como preenchimentos de urnas com boletins de voto pré-marcados, troca de cadernos eleitorais e falsificação de editais e ainda atrasos na divulgação das contagens distritais (48 horas desde o dia da votação) e provinciais (cinco dias).

Na semana passada, Paulo Cuinica garantiu que o órgão eleitoral não vai deixar “qualquer dúvida” sobre os resultados das eleições gerais.

Para que produzam efeitos, os resultados das eleições gerais que serão anunciados pela CNE terão ainda de ser validados pelo Conselho Constitucional moçambicano.

Mais de dez milhões de moçambicanos foram chamados em 15 de outubro para escolher um novo Presidente da República, 250 deputados da Assembleia da República e 811 membros das assembleias provinciais.
 

Fonte: Adapatado do site Club of Mozambique