CCIABM
CCIABM
Início » destaque » Estande: CCIABM no V Encontro “Negócios na Língua Portuguesa”

destaque

Estande: CCIABM no V Encontro “Negócios na Língua Portuguesa”

11 de fevereiro de 2010

Negócios (Hélia Ventura) – Câmara de Comércio Brasil-Moçambique terá estande no V Encontro Negócios na Língua Portuguesa, no ano de 2009. O evento deverá contar com uma grande delegação de Moçambique, integrada por membros do governo e da classe empresarial.

Belo Horizonte – A Câmara de Comércio Brasil-Moçambique terá um estande no V Encontro Negócios na Língua Portuguesa e estará à inteira disposição para auxiliar aqueles que tenham interesse em conhecer e fazer negócios com Moçambique, afirmou o Diretor-Presidente da Câmara de Comércio Brasil-Moçambique – CCIABM, Mário Tavernard, ao Portugal Digital e ao África 21 Digital. “Na oportunidade, deveremos contar também com uma grande delegação oriunda de Moçambique, com membros do governo e também diversos empresários”, acrescentou o mesmo responsável.

O Diretor-Presidente da CCIABM considera o Encontro de Negócios em Língua Portuguesa promissor, sobretudo por considerar que o idioma é um fator que agrega as culturas e aproxima as nações, bem como pode ser um facilitador para que ocorra uma aproximação econômica. Expectativa com a geração de negócios : “A CCIABM participará do evento e possui grandes expectativas acerca dos contatos e negócios que ali poderão ser gerados”, disse.

Outro aspecto positivo, lembra Mário Tavernard, é que atualmente, tem-se observado uma maior atenção por parte do Brasil em relação aos demais países lusófonos, em especial aqueles do continente africano. “No caso de Moçambique, por exemplo, já tivemos duas visitas de cada um dos presidentes ao outro país, além de várias visitas ministeriais, o que denota prioritariamente esse interesse no estreitamento dos laços políticos”, destaca.

Ao lado disso, ele afirma que alguns dos principais projetos ligados à mineração e a infra-estrutura são realizados por empresas brasileiras, como a Vale do Rio Doce e a Camargo Corrêa, respectivamente. “Dessa forma, acreditamos que esses grandes projetos poderão se desdobrar em vários outros, além de contribuir para a intensificação das trocas comerciais entre os dois países. Há também alguns projetos de cooperação em andamento, como a instalação do Senai, implantação do Projeto “Pintando a Cidadania” e a construção da fábrica de anti-retrovirais Farmanguinhos”, lembra.

De acordo com Mário Tarvernard, tendo em vista esses projetos iniciais, quer na esfera governamental, quer por parte da iniciativa privada, adicionado ao fato de Moçambique ser um país estabilizado e democrático, ele acredita haver grandes oportunidades para empresas brasileiras em Moçambique, tanto para investimentos diretos quanto para exportações. “Estamos desenvolvendo também alguns projetos visando a importação de produtos moçambicanos pelo Brasil”, completa.

Fonte: Portugal Digital e ao África 21 Digital